2013 é o Ano Internacional da Quinoa

2013 é o Ano Internacional da QuinoaDe acordo com as Nações Unidas, a quinoa ou quinua (Chenopodium quinoa) tem alto valor nutricional, econômico, ambiental e cultural, sendo uma excelente opção para combater a desnutrição. “Espero que este Ano Internacional seja um catalisador para aprender sobre o potencial desse grão para a segurança alimentar e nutricional, a redução da pobreza, especialmente entre os pequenos agricultores do mundo, e também para a agricultura ambientalmente sustentável”, disse Ban Ki-moon, secretário-geral da ONU, que ainda destacou que a quinoa possui todos os aminoácidos e vitaminas essenciais para os seres humanos e não possui glúten.

Cultivada há milhares de anos na Bolívia, Colômbia, Equador e Peru, a plantação de quinoa é amplamente adaptável e pode crescer a temperaturas que variam de -8ºC a 38ºC, no nível do mar ou a quatro mil metros, além de não ser impactada pela baixa umidade. “Por sua versatilidade, trata-se de uma opção alimentar viável para áreas com condições agrícolas áridas e altas taxas de desnutrição”, concluiu Ban Ki-moon. As informações são do site Planeta Sustentável.

Propriedades nutricionais da quinoa

O grão apresenta excelente balanço entre lipídios, proteínas e carboidratos. As fibras do grão correspondem em média a 3,8%, sendo este nível maior do que os encontrados no arroz, milho e trigo.

É um cereal rico em proteína de alto valor biológico por conter 20 aminoácidos que o organismo necessita. Entre eles, destacam-se altas concentrações de metionina e lisina, que melhoram a imunidade, a capacidade de aprendizagem e a memória.

Também, pode ser considerada uma boa fonte de triptofano, aminoácido ligado à produção de serotonina no cérebro, responsável pela modulação do humor, pela disposição e bem estar.

Certos estudos analisaram o conteúdo de minerais no grão de quinoa polida (100 g de amostra), obtendo dentre os minerais analisado, maiores teores de cálcio (55,1 a 91,8 mg), fósforo (360,2 a 411,0 mg), potássio (639,3 a 732,0 mg), magnésio (415,2 a 502,0 mg), ferro (9,2 a 15,0 mg) e zinco (0,8 a 4,0 mg). Outros estudos comprovam que o grão de quinoa apresenta quantidades significativamente superiores para estes minerais quando comparado à maioria dos cereais comumente consumidos no Brasil (trigo, milho, arroz, aveia).

Pelas suas características nutricionais pode ser indicada como suplemento na dieta de idosos, convalescentes e pacientes celíacos, ou seja, indivíduos alérgicos ao glúten.

Uma característica deste pequeno grão é o teor de saponina (um tipo de glicósido triterpenóide denominado de fraxina), que lhe confere um sabor amargo, mas que é eliminado por lavagem e fricção.

Portanto, antes de ser consumida, a quinoa deve ser desaponificada (remover as substâncias amargas ou saponinas). Isso é feito esfregando-se os grãos com as mãos em água corrente até não mais formar espuma. Após a lavagem dos grãos, não devem ser consumidos de imediato, e sim, secados imediatamente. A quinoa não deve ficar muito tempo úmida, porque germina rapidamente.

Fonte: Viver Bem

Criamos uma receita de queijo vegano cremoso à base de quinoa que fica delicioso em diversas preparações culinárias. Confira:

“Queijo” cremoso de quinua

Esfiha de queijo de quinua e milho

 

Veggi e Tal - Receitas veganas, Veganismo e Direitos Animais
© 2012 - 2016