25 de março é o Dia Mundial Pelo Fim da Pesca

O Dia Mundial Pelo Fim da Pesca é realizado no quarto sábado de março de cada ano. A data chama a atenção do público para a existência de seres sencientes cuja vida normalmente ignoramos e que são submetidos à violência rotineira. A campanha nasceu na Suíça e França em 2016 e teve uma virada internacional em 2017.

Segundo o site oficial, o Dia Mundial Pelo Fim da Pesca oferece uma oportunidade para pedir publicamente a abolição da exploração de animais aquáticos, isto é, a proibição da pesca e da piscicultura. “Esta proibição não virá em um dia. Precisamos falar agora sobre como esses animais são tratados. O objetivo do Dia Mundial é atrair a atenção do público para a exploração de animais aquáticos, a fim de que este dia possa chegar.” Eventos foram agendados para a data em diversos locais do mundo, incluindo Suíça, Bélgica, França, Canadá, Alemanha, Israel, Austrália e outros.

Os ativistas esclarecem no site do movimento porque devemos abolir a exploração de animais aquáticos:

Por que devemos parar de pescar?

Porque os peixes e outros animais aquáticos sensíveis não são reconhecidos como indivíduos.
Porque eles não são protegidos de forma alguma.
Uma grande maioria dos animais criados ou capturados são animais aquáticos mortos para consumo humano ou para alimentar outros animais de criação.
Porque seu destino é desconhecido para o público e muitas vezes ignorado por campanhas de direitos dos animais.

Milhares de bilhões de peixes, cefalópodes e crustáceos são mortos todos os anos.

Um grande número destes animais atravessam a agonia em terra firme, são sangrados até a morte e eviscerados enquanto ainda estão conscientes, ou são jogados de volta ao mar com azóis presos. Outros morrem “explodindo”pela descompressão severa, conforme redes de pesca são içadas de gandes profundidades marinhas. Quanto aos prisioneiros da piscicultura, eles vivem em condições horríveis, em espaços sujos e lotados cheios de parasitas.

A vida escondida dos peixes

Como os peixes não vivem na terra, porque não são mamíferos como nós e porque não expressam emoções através de gestos faciais ou gritos que possamos ouvir, eles são submetidos a uma forma aguda de especismo. Como eles não se parecem conosco, não nos identificamos com eles ou com sua situação, subestimamos sua capacidade de experimentar sofrimento e prazer, bem como suas capacidades mentais e sociais. Não pensamos neles, nem sobre como eles são capturados ou criados quando seus corpos mortos são exibidos em peixarias ou usados ​​como ingredientes em bens industriais de vários tipos. Essa ocultação torna um dia dedicado a recusar sua exploração mais do que o necessário.

Todas as sociedades aceitam que não devemos infligir sofrimento e morte desnecessários aos animais. Dado os danos imensos que causamos aos peixes e outros animais aquáticos, e dado o número maciço de indivíduos afetados, devemos acabar com sua exploração e parar de matá-los por sua carne. A escravização e o abate de outros animais para consumo humano não podem ser justificados .

O site do movimento convida cada indivíduo e organização a participar do Dia Mundial pelo Fim da Pesca e da campanha pelo fim da exploração dos animais marinhos – organizando protestos ou eventos públicos; criando uma obra de arte sobre o assunto; compartilhando artigos e vídeos em suas redes sociais; divulgando a campanha ou contribuindo diretamente com a associação que promove as campanhas relacionadas à data.

Para saber mais, acesse: www.end-of-fishing.org