Agência de Viagens do Reino Unido suspende visitas à Zoos

“desatualizados, antiéticos e desnecessários”

Empresa de viagens com sede no Reino Unido, a Responsible Travel declarou que não vai mais oferecer viagens que incluam visitas a zoológicos, concluindo que não há “razão justificável” para manter os animais em cativeiro.

“Nossa conclusão é que os zoológicos não são apropriados em 2017”, disse Justin Francis, CEO da Responsible Travel, em um blog chamado “relíquias do passado”.

“Em nossa opinião, ao invés de serem organizações de conservação auto-proclamadas, elas são de fato empresas que exploram animais com fins lucrativos”, continuou Francis. “Esperamos que outras empresas de viagens e operadores turísticos se juntem a nós na criação de um movimento de mudança que reconheça que os jardins zoológicos estão desatualizados, antiéticos e desnecessários”.

Até o momento, seis viagens que incluíam visitas a zoológicos foram excluídas do catálogo de ofertas da Responsible Travel.

De acordo com o The Guardian, que promoveu a Responsible Travel como o primeiro lugar para procurar férias ecológicas, a empresa também está conduzindo uma “auditoria profunda” de todos os locais que mantém animais cativos visitados nos pacotes de viagem que oferecem em todo o mundo, para garantir que sejam “aceitáveis”.

A empresa afirma que continuará a trabalhar com “verdadeiros centros de conservação de espécies ameaçadas de extinção”, para “promover legítimos santuários de animais e centros de resgate de animais que não possam ser devolvidos à natureza, bem como centros de reabilitação de animais que serão devolvidos à natureza, desde que nenhuma reprodução em cativeiro ocorra nessas instalações. ”

A empresa internacional, que trabalha com 375 operadores turísticos em todo o mundo, é a primeira no ramo de viagens a tomar uma posição tão forte contra zoológicos. As informações são do World Animal News.