Água de rosas

agua-rosasA água de rosas apresenta inúmeros benefícios e utilizações, em culinária, saúde, e cosmética. Produzida pelo povo árabe desde o século IX, alguns pesquisadores acreditam que foram os indianos os criadores do produto; outros acreditam que surgiu ao mesmo tempo na Índia, Bulgária e mundo árabe.

É antibacteriana, calmante e possui propriedades anti-sépticas. É rica em flavonóides e vitaminas. Se ingerida como chá terapêutico, fornece nutrientes e minerais, alivia problemas digestivos e tensão , dentre outros benefícios.
É um importante agente nos cuidados da pele. Tem excelentes efeitos calmantes, melhora a condição da pele seca e envelhecimento, limpa, purifica, reduz o inchaço e vermelhidão, auxilia na eliminação de cravos. Pode ser utilizado por quem tem pele sensível e é eficaz como uma loção pós-barba. Além disso, água de rosas é muito benéfica para o cabelo, por isso é frequentemente usada como ingrediente em produtos capilares. Aumenta o fluxo sanguíneo ao couro cabeludo, desta forma nutre e fortalece os folículos pilosos ajudando no combate à queda dos fios.

Na culinária,  é comumente usada nas cozinhas do Sul e do Oeste da Ásia, do Oriente Médio e de parte da Europa. Em doces diversos, chás, biscoitos; para aromatizar bebidas, pudins, bolos e pães.

Encontra-se àgua de rosas em lojas de produtos naturais e fitoterápicos, mas é importante certificar-se de que o produto é 100% natural, pois existem produtos sintéticos  e não apropriados para a ingestão.

A seguir, uma receita de água de rosas bem simples de preparar:

– 2 xícaras de pétalas de rosas, se possível rosas de quintal, pois não possuem agrotóxicos (não misturar cores); ou folhas de rosa secas

– 500ml de água filtrada ou mineral

Higienize as pétalas e coloque-as em uma chaleira, ou vidro com tampa. Ferva a água e despeje sobre as pétalas. Deixe em infusão por 30 minutos, coe e aguarde esfriar. Conserve em geladeira, em recipiente bem fechado.

 

fonte de consulta:

guide to herbal remedies

wikipedia

Veggi e Tal - Receitas veganas, Veganismo e Direitos Animais
© 2012 - 2016