Alemanha pretende acabar com a morte em massa de pintinhos machos em 2017

pintinhos-moidosA Alemanha tornou-se o primeiro país do mundo a decidir que não quer mais moer milhões de pintinhos vivos – considerados ‘resíduo’ pela indústria de ovos no mundo todo.

É a realidade brutal: milhões de pequenos pintos machos são moídos vivos ou sufocados todos os anos, porque eles não tem utilidade para a produção de ovos, não sendo considerados “comercialmente viáveis”.

Metade de todos os filhotes nascidos na indústria do ovo são machos.

Cientistas e ativistas uniram-se na Alemanha para chegar a uma opção alternativa para o abate em massa dos 45 milhões de pintinhos machos nascidos na indústria de ovos do país todos os anos. A nova tecnologia pretende determinar o sexo de cada óvulo fertilizado antes que o pintinho se desenvolva – o que permitirá que todos os ovos contendo pintinhos machos sejam retirados da incubadora, deixando apenas os ovos de fêmeas para chocar. O Ministro da Agricultura da Alemanha, Christian Schmidt, já avisou que o ‘retalhamento de pintinhos’ pode ser uma coisa do passado na Alemanha de 2017 – tornando-se o primeiro país do mundo a acabar com a prática.

Os esforços, no entanto, não parecem envolver qualquer preocupação ética com a exploração e morte das fêmeas. O destino destas pode ser considerado ainda pior que o dos machos, uma vez que são exploradas em condições miseráveis pela produção de ovos até que estejam completamente exauridas, sendo, então, mortas.

Via Animals Australia

Veggi e Tal - Receitas veganas, Veganismo e Direitos Animais
© 2012 - 2016