Consumo de alimentos de origem animal pode nos matar – mas não da forma que você pensa

70% das doenças humanas recentes têm origem animal

O mundo está usando mais antibióticos do que nunca antes e não demonstra sinais de parada. Uma nova análise publicada na revista Proceedings, da Academia Nacional de Ciências prevê que o consumo mundial de drogas vai crescer 67 por cento até 2030. Durante o mesmo período de tempo, no Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul, os autores esperam que o uso de antibióticos dobre.

A razão para o aumento dramático no uso de antibióticos, dizem os autores, tem a ver principalmente com o apetite cada vez maior do planeta por alimentos de origem animal. Desde 1970, os produtores criam os animais com doses regulares de antibióticos. Por razões ainda não totalmente compreendidas, este sistema faz com que os animais cresçam mais. Nos Estados Unidos, 80 por cento de todos os antibióticos já vão para o gado, e a prática está se tornando a norma em todo o mundo.

À medida que a classe média no mundo em desenvolvimento cresce, a demanda por produtos de origem animal e o uso de antibióticos para produzir carne rápido e barato crescem também.

Com a explosão no uso de antibióticos, os especialistas esperam que as bactérias evoluam para resistir a eles. Isso é assustador, considerando que alguns dos mesmos medicamentos que usamos na pecuária são também a nossa melhor defesa contra infecções em humanos. E suber bactérias, vários estudos recentes têm mostrado, podem e saltam de animais para humanos. De fato, outro recente estudo prevê que as infecções resistentes aos antibióticos irão matar 10 milhões de pessoas por ano até 2050.

Com informações do Mother Jones.

Veggi e Tal - Receitas veganas, Veganismo e Direitos Animais
© 2012 - 2016