Milhões de animais abandonados para morrer nas inundações causadas pelo furacão Matthew

porcos-inundacao

Crédito da imagem: Lisa Rice/Facebook

Quando o furacão Matthew atingiu a costa, animais em mais de 20 áreas, desde a Carolina do Norte nos EUA até o Haiti, foram traumatizados, tanto física como emocionalmente. Determinados a ajudar essas criaturas inocentes, organizações de resgate de animais vão às áreas afetadas para ajudar qualquer animal faminto, administrar vacinas e cuidados veterinários, e oferecer apoio emocional.

Um grupo de animais que as organizações e as pessoas em geral não necessariamente se preocupam, no entanto, são os milhões presos em fazendas industriais.

Rios no leste da Carolina do Norte, ainda cheios pelas chuvas provocadas pelo furacão, estão inundando uma região repleta de fazendas com porcos e aves. Cerca de 5 milhões de galinhas e perus já tinham morrido a partir de quarta-feira, relata a Reuters. Ainda não foram divulgadas estimativas de mortes de porcos, mas elas podem ser exorbitantes.

Isso porque a Carolina do Norte contém uma das maiores concentrações de criação de porcos do planeta. Agrupados em principalmente 5 municípios do estado, 2.000 fazendas industriais criam cerca de 10 milhões de suínos por ano. Sem qualquer plano de emergência destinado para estes animais, eles foram deixados para morrer em desespero, considerados indignos de proteção.

Além dos milhões de animais mortos pela inundação, estas fazendas geram 10 bilhões de galões de resíduos fecais anualmente, “o suficiente para encher mais de 15.000 piscinas olímpicas”, relata o Grupo de Trabalho Ambiental local, e muito disso é armazenado em fossas abertas conhecidas como “lagoas”, que também foram invadidas pelas águas da enchente . Este estrume é carregado com bactérias patogênicas, incluindo aquelas resistentes a antibióticos, resíduos de antibióticos, e carregados de nitrato, que polui a água potável e que alimenta a proliferação de algas, causando zonas mortas.

Alguns podem argumentar que esses animais morreriam de qualquer forma, e torna-se difícil de discutir este ponto, considerando que eles são criados para se transformar no alimento de alguém. Antes da chegada do furacão Matthew, estes animais eram essencialmente forçados a levar vidas miseráveis enfiados em galpões imundos e apertados, atolados em sua própria urina e fezes, recebendo alimentos carregados com antibióticos, e tratados com nenhuma consideração, apenas para serem explorados como objetos.

Porque os animais em fazendas são considerados como meras mercadorias, vêm com pequena surpresa que poucos esforços foram feitos para mantê-los em segurança ou evacuá-los antes da inundação. A realidade é que esses fazendeiros vão encarar a perda destes animais como um mero lucro perdido, provavelmente dando pouca importância para o medo ou sofrimento que estes animais devem ter experimentado na catástrofe.

Com informações de Wired e One Green Planet

Veggi e Tal - Receitas veganas, Veganismo e Direitos Animais
© 2012 - 2016