Quantos animais matamos na vida para comer?

Dr. phil. Sônia T. Felipe

peixes

Crédito da imagem: TinkerBells

Quantos animais um humano consome ao longo de sua vida? Um cálculo difícil. Há tempo estou atenta à leitura de todos os livros e não consegui um dado objetivo. Quando os autores fornecem um número, eles não dizem como o obtiveram, o que levaram em conta, como calcularam. Jeffrey Moussaieff Masson fala em 22.000 animais ao longo de uma vida humana, mas não explica como chegou a tal número. Façamos o exercício por nossa conta e risco.

Outro dia comecei a calcular, com base nos dados que eu tenho pesquisado, usando o tanto de kg de carne que resta do cadáver de um frango, de um porco e de um bovino, e pensando nos tais dos 300 g a serem consumidos por dia por pessoa, apregoados nas décadas de 1970 a 1990 pela propaganda medicinal das carnes.

Somando-se os 300 g por dia por um ano de consumo de carnes, teríamos 110 kg por pessoa.Só carnes. Multipliquei os 110 kg por 75 anos, que é a média de vida brasileira (não descontei quantidades por faixa etária, sexo, região, classe social), e obtive oito toneladas por pessoa em 75 anos de “consumi-dor”.

Se usarmos os oito mil quilogramas e aplicarmos aos tipos de carnes mais consumidos, teríamos: se fosse de frango, vamos contar que, limpo, sem penas, pernas, cabeça, vísceras e excrementos nelas, após o abate um frango renda 2kg. Isto daria quatro mil frangos por vida.

Mas se a pessoa não comesse exclusivamente carne de frango e sim de porco, mantendo a média dos 300 g por dia, 8 toneladas de porco são uns 135 porcos para uma vida (considerando carne, do porco, depois de limpa e separada a gordura, pele, pés, cabeça), uns 60 kg por animal.

Se a pessoa jamais comesse porco ou frango, só boi, isso daria uns 44 bovinos. Estou calculando carne por carne, só carnes, nenhum dos demais derivados desses animais.

Mas, digamos que a pessoa também coma peixes, por exemplo, sardinhas. Se ela come uma lata de sardinha por semana e nesta lata estão umas cinco sardinhas, ela consumiu 270 sardinhas por ano, totalizando 20.250 sardinhas.

Enfim, o número apontado por Jeffrey Moussaieff Masson, de 22 mil animais mortos para consumo de uma pessoa ao longo de sua vida não está fora da realidade. Quase todas as pessoas onívoras comem peixe duas a três vezes por semana. E as pessoas onívoras comem todos os outros alimentos que embutem carnes e seus derivados sem que os olhos possam ver tais coisas. Comer animais é algo impossível de ser feito sem matança.

Matamos os outros animais para comer. Tudo por crer na propaganda medicinal de alimentos animalizados, pela qual somos bombardeados há mais de cinco décadas.

O fato é que as tais das proteínas presentes nas carnes desses 22 mil animais podem muito bem ser ingeridas em alimentos de origem vegetal, numa dieta consciente, informada. Mas, mesmo com a informação, não basta saber o que contém o que. É preciso comer os alimentos que contêm os aminoácidos essenciais, para que nosso corpo possa ir juntando os oito e formando sínteses até chegar à cadeia dos 20 a 23 necessários para construção dos tecidos do nosso corpo.

Não precisamos ingerir cadáveres para obter esses aminoácidos. Afinal, os animais que comemos não precisaram ingerir cadáveres para sintetizar os aminoácidos que formaram as cadeias que estão presentes nos tecidos de seus músculos, justamente aqueles que transformamos em “carnes” quando os matamos. Animastê!

Veggi e Tal - Receitas veganas, Veganismo e Direitos Animais
© 2012 - 2016