Ativista canadense pode enfrentar 10 anos de prisão por dar água para porcos

ativista-agua-porcosNo Canadá, uma ativista pelos direitos animais é confrontada com a possibilidade de ser condenada à 10 anos de prisão por dar água para porcos desidratados, enquanto estavam a caminho de um matadouro em Ontário, em junho deste ano.

Um vídeo mostrou Anita Krajnc, 48, discutindo com o motorista de um caminhão que transportava porcos para uma fábrica de processamento de carne suína de Ontário, enquanto ele estava parado em um farol. Ela e um colega ativista estavam tentando dar água para os porcos, enquanto o motorista, que foi identificado como Jeffery Veldjesgraaf, tentou impedi-los de fazê-lo.

Quando ela se recusou a ouvir, o motorista ameaçou chamar a polícia. No vídeo, o motorista perguntou o que havia na água, ao que Krajnc respondeu que era apenas água. A discussão continuou e Kranjc conseguiu dar um pouco de água para um porco, ameaçando o motorista de acusações de agressão caso ele tentasse fazer qualquer coisa.

O fazendeiro Eric Van Boekel, “dono” dos porcos, entrou com uma queixa na polícia no dia seguinte.

De acordo com relatos da imprensa canadense, Krajnc foi acusada de “conduta criminosa” por pulverizar um líquido desconhecido no trailer que levava os porcos.

“Foi realmente chocante quando recebi a intimação. Eu não podia acreditar que estava sendo cobrada por dar água aos porcos sedentos”, ela disse a um jornal local. “Minha defesa é que eu estava sendo uma boa samaritana. Se eu enfrentar uma multa, prefiro passar o tempo na prisão “.

Krajnc é fundadora de um grupo de direitos animais chamado Toronto Pig Save. O site do grupo diz: “Nosso objetivo é incentivar as pessoas: a se juntar a nós e testemunhar o sofrimento dos animais durante o transporte e nos matadouros, para serem vegans, para serem ativistas animais diários, para proteger o meio ambiente, para promover uma vida saudável, para apoiar santuários de fazenda e trabalhar no sentido de uma transição justa para os trabalhadores e pela criação de um trabalho significativo e não violento em uma economia de comida vegana. ”

Segundo a lei canadense, os suínos podem ser transportados por até 36 horas sem comida e água e são considerados bens para os proprietários.

Diversas petições online foram criadas a favor de Krajnc. Uma delas se chama “Compaixão não é crime” e já conseguiu mais de 127 mil assinaturas. Outra pede ao tribunal de Ontário  para retirar as acusações contra ela. A data de pré-julgamento de Krajnc é 15 de dezembro.

Com informações do site International Business Times.

Veggi e Tal - Receitas veganas, Veganismo e Direitos Animais
© 2012 - 2016