Ong BUAV pede ao governo da Maurícia que acabe com comércio de primatas

De acordo com estatísticas, milhares são enviados para laboratórios no exterior

Ong BUAV pede ao governo da Maurícia que acabe com comércio de primatasDe acordo com a BUAV (ONG inglesa que luta pela abolição da experimentação animal) os números mais recentes relatados pelo Ministério da Agro Indústria mostram que entre janeiro e junho deste ano, 4.918 macacos foram exportados da Maurícia para laboratórios em todo o mundo.

O local é um dos maiores fornecedores mundiais de primatas para a indústria internacional de pesquisa. Por toda a região, existem inúmeras instalações para a exploração e reprodução de primatas, contendo muitos milhares de macacos.
Macacos foram capturados na natureza e presos nestas fazendas, onde são usados ​​como ‘máquinas’ de criação para produzir descendentes, que serão transportados para laboratórios em todo o mundo.

A ONG lançou a campanha Save Our Monkeys, que tem sido bem sucedida na sensibilização e apoio dentro da ilha, e que internacionalmente expõe o comércio dos macacos. Sua atual campanha de sensibilização de turismo está destacando a potenciais viajantes exatamente o que acontece com os macacos na ilha.

Michelle Thew, Chefe Executiva da BUAV declarou: “É triste pensar nos milhares de macacos suportando uma viagem aterrorizante, sendo transportados por milhares de quilômetros longe de casa, para sofrer nas mãos da indústria de pesquisa. Apelamos mais uma vez ao Governo Maurício que acabe com este comércio cruel e que permita que os macacos da Maurícia sejam deixados em paz para viver uma vida livre na natureza. ”

A ONG também criou uma petição mundial que será encaminhada ao Primeiro-Ministro da Maurícia, pedindo o fim do comércio de primatas nas Ilhas. Clique aqui para assinar.

Veggi e Tal - Receitas veganas, Veganismo e Direitos Animais
© 2012 - 2016