O que quer dizer bem-estarismo animalista?

Dr. phil. Sônia T. Felipe

Abate humanitário

Quer dizer que se você tratou bem um animal, mesmo que tratar qualquer animal já seja um manejo não natural e pressuponha domínio seu sobre o corpo dele, você pode então usá-lo, explorá-lo e matá-lo, compensando assim o grande trabalho que teve para manter o corpo do animal em perfeitas condições para seu uso ou consumo futuro.

Para os bem-estaristas, o conforto dado ao animal é a moeda de troca com a qual julgam pagar para não sentir o peso de sua consciência por continuar a pensar que animais nascem para serem usados e mortos pelos humanos, que querem por querem esconder de si mesmos o fato de que também nasceram, vivem e morrerão sem jamais ter galgado um degrau sequer para além de sua condição material de vida animal.

Abolicionismo, o que é?

É a concepção ética que reconhece sem discriminação a igualdade da condição senciente de todos os animais e visa a abolição do uso e matança, da escravização, dos abusos e da crença de que os animais outros que não os humanos nascem para servir a quaisquer propósitos humanos.

Em meio a todas as diferenças encontradas ao redor do planeta entre todas as espécies animais e cada indivíduo animal, jamais se encontrou uma sequer que tornasse ético o uso de seres que sofrem pelos tormentos que os humanos lhes infligem ao usá-los, explorá-los, trancafiá-los e matá-los para benefício próprio. Quem inventa tal diferença é a moral humana, padecendo há milênios de uma grave deficiência (kakothymía).

E o reducionismo de tanta dor não basta?

Não mesmo. Reduzir a dor para continuar a causá-la logo em seguida ou a causar o mesmo em outros indivíduos não torna uma ação ou decisão ética, pois a não dor de um animal não é moeda de troca para legitimar que se cause a mesma dor em outros. Nenhum humano está aqui para ser usado no lugar de outro. Nenhum animal outro que não humano também. Toda existência animal é irrepetível. A vida de um não compensa a morte de outro.

Via Galactolatria, Mau Deleite

Veggi e Tal - Receitas veganas, Veganismo e Direitos Animais
© 2012 - 2016