Conheça Esther, a porca maravilha

Porca vira sucesso na internet e contribui para a conscientização pelos direitos animais

Porca criada por família no Canadá vira sucesso na internet e contribui para a conscientização pelos direitos animaisA maioria das pessoas têm dificuldades em associar que a carne que compram no supermercado já foi um ser senciente, que sentiu dor, medo, felicidade e tristeza assim como nós.

Uma família no Canadá aprendeu essa lição quando adotaram Ester, pensando ser um “micropig”, mas que na verdade era um porco que havia sido criado para parar no prato de alguém. Agora sua missão é dar-lhe a melhor vida possível e inspirar as pessoas a pensar de forma diferente sobre porcos e todos os outros animais que normalmente são mortos para virar comida.

Graças à sua fanpage no Facebook, que já tem mais de 80 mil curtidas, Esther tem subido rapidamente para a fama internacional e possui milhares de admiradores em todo o mundo.

Confira a seguir uma entrevista feita pelo Peta com Steve, um dos tutores de Esther:

Qual é a primeira coisa que você quer que as pessoas saibam sobre os porcos?

Eu gostaria que as pessoas fossem mais conscientes de quão incrivelmente inteligentes e emocionais os porcos são. Apesar de seu tamanho, Esther não quer nada mais do que um aconchego quando dorme. Ela vai sair do seu caminho para nos encontrar, ou aos cães, e deitar-se junto. Ela gosta de brincar de cabo-de-guerra e mastigar seus brinquedos. Ela também gosta de brincar de pega-pega, e perseguimos uns aos outros ao redor do quintal. Ela então vai correr e bater nas minhas pernas, em seguida, afastar-se como se fosse a minha vez de persegui-la. É hilário e surpreendente. Ela é também incrivelmente delicada. Nós a alimentamos com a mão e podemos por os dedos direto na sua boca. Passamos muito tempo com ela, por isso ela é muito sociável. Este mito sobre porcos serem cruéis e malvados não poderia ser mais falso. A única vez que vemos qualquer agressão de Ester é quando ela está com medo. Eu só posso imaginar o quão assustados os porcos em fazendas industriais ficam, e embora eu não seja nenhum especialista em comportamento, eu tenho que assumir que sua raiva em fazendas decorre da mesma coisa: Eles estão com medo. Quando dada a oportunidade de serem amados e de ser eles mesmos, os porcos são sociais, simpáticos, amorosos, e animais sensíveis.

Como ter Esther mudou suas vidas?

Nossa vida mudou de muitas maneiras para contar. Em primeiro lugar, ela nos inspirou a ser veganos, e estamos trabalhando nessa direção agora. Nós temos nossa dieta sob controle e estamos aprendendo a garantir consistência em outras áreas, como roupas, móveis, etc. Foi uma grande mudança, mas nos sentimos incríveis sobre isso. Ela também causou algumas mudanças em casa que foram interessantes e inesperadas. Porque ela é tão inteligente, tivemos que tornar tudo à prova de crianças! Alimentos foram transferidos para os armários superiores, e as portas de alguns quartos são mantidas fechadas. Precisamos estar muito conscientes de tudo o que deixamos espalhados pela casa, porque ela vai explorar e comer … se ela puder.

Como é que Esther inspirou vocês?

Isto é muito difícil de responder sem soar estranho, mas vou tentar. Ela realmente apenas inspirou-nos a ser pessoas melhores como um todo. A sermos mais conscientes de como nossas ações pequenas podem ter grandes impactos. A estar cientes de onde os produtos que utilizamos vêm e como os obtemos. Ela nos inspirou a tentar mostrar ao mundo os horrores que apoiamos por ignorarmos o tratamento desses animais em fazendas industriais. Eu não vou dizer que Esther não é especial porque ela é, mas vamos ser honestos. Tudo o que fizemos foi tirar o que foi criado para ser o jantar de alguém e lhe dar a chance de ser ela mesma. … Queremos que as pessoas vejam Esther e façam a conexão entre ela e os milhões de porcos como ela, que não tiveram tanta sorte. Para mostrar que, dada a oportunidade, esses animais incríveis crescem para se tornar os animais mais  surpreendentes e compassivos que você já conheceu. Eu olho em seus olhos, e eu vejo alguém olhando de volta. Alguém que me conhece e me ama assim como fazemos com dela. Vejo alguém, não algo.

Esther The Wonder Pig também tem um canal no youtube, com diversos vídeos:

Veggi e Tal - Receitas veganas, Veganismo e Direitos Animais
© 2012 - 2016