Estudo do Incor: homens vegetarianos têm composição corporal mais saudável

homens-vegetarianosO Instituto do Coração (InCor) da Universidade de São Paulo realizou um estudo com o objetivo de analisar se homens vegetarianos têm maiores taxas de estado nutricional adequado em relação aos homens onívoros, avaliados através de vários métodos.

Neste estudo observacional, de 745 indivíduos de São Paulo, foram selecionados 44 onívoros e 44 vegetarianos participantes homens aparentemente saudáveis no Estudo CARVOS, onde foram avaliados por dois recordatórios alimentares de 24 horas, índice de massa corporal (IMC), medidas de circunferência, cintura (WHR), dobras cutâneas, e por BIA.

O resultado, publicado em julho de 2016 nko Journal of Nutrition & Food Sciences, revelou que homens vegetarianos têm maiores taxas de nutrição adequada e uma menor prevalência de excesso de peso segundo o IMC, excesso de gordura abdominal e excesso de gordura corporal estimado pela circunferência, medição de dobras cutâneas, e por BIA.

Definição e seleção dos participantes do estudo

Entre janeiro e setembro de 2013, inicialmente 745 voluntários adultos foram incluídos em São Paulo, através de atividades sociais e da internet. Os participantes preencheram questionários sobre histórico médico passado, histórico familiar, preferências dietéticas e dados pessoais. Para estes indivíduos preencherem os critérios de homens aparentemente saudáveis, critérios de exclusão foram aplicados para pessoas com qualquer uma das seguintes condições: 1) histórico de diabetes; 2) histórico de dislipidemia; 3) histórico de doenças cardiovasculares ou cerebrovasculares ; 4) histórico de hipertensão arterial ou ingestão de medicação anti-hipertensiva e 5) tabagismo.

Participantes saudáveis com idade superior a 35 anos foram divididos em 2 grupos, vegetarianos e onívoros – VEG e OMN – de acordo com os seus padrões alimentares. Os homens no grupo VEG foram definidos como tendo o consumo exclusivo de uma dieta sem carne, peixe e aves durante pelo menos 4 anos. Homens OMN foram considerados aqueles que consumiram qualquer tipo de carne, pelo menos cinco ou mais porções por semana. No período de junho de 2013 a dezembro de 2014, após a aplicação de critérios de inclusão e exclusão, os homens aparentemente saudáveis que participaram da fase final do estudo CARVOS foram avaliados. Foram escolhidos homens com mais de 35 anos porque a doença cardiovascular é mais prevalente do que nas mulheres nesta idade.

Clique aqui para acessar o estudo completo, em inglês.