Na Suécia, fazendeiro fecha açougue pois ” veganismo é o futuro”

Mais um indivíduo anteriormente envolvido na agricultura animal chegou à decisão de que sua atividade não é ética.

Gustaf Soderfeldt era um fazendeiro de porcos na Suécia e dirigia um pequeno comércio de carne de animais criados de forma “humana”. Mas ele se tornou vegano – em parte devido a assistir vídeos no Youtube – e isso, ele diz, mudou sua vida.

Ele falou com o jornal sueco Aftonbladet e, explicando sua transição, chamou o veganismo do “futuro da agricultura”.

Soderfelt discutiu como o cultivo de vegetais é muito mais gratificante do que criar animais para a produção de carne e refletiu sobre as dificuldades de trabalhar na criação animal.

Ele disse: “Nossos clientes adoravam ouvir que os porcos haviam tido uma” boa vida “. Mas é claro, eles não queriam saber sobre o lado feio da criação de animais. Se eu tivesse dito a eles que uma porca mãe não queria ser separada de seus bebês ou que os porcos gritavam com angústia quando eram carregados no caminhão para o matadouro, eu não teria mantido um único cliente “.

Ele continuou: “Não há nada de divertido sobre criar animais para matá-los … você faz isso porque acha que precisa, mas por dentro, você se sente horrível”.

De maneira incisiva, o fazendeiro disse: ” se você se preocupa com os animais, a resposta não é carne ‘humanitária’ “. O certo a se fazer é parar de criar animais para comer”.

Soderfelt acrescentou, de forma inspiradora, que a agricultura vegana é “mais gentil, saudável, mais eficiente, causa menos desperdício e é mais amigável ao clima” e deixou claro que outros fazendeiros deveriam fazer o mesmo. Ele mesmo sugere que não é tão difícil: “[os agricultores] estão desenvolvendo conhecimentos e métodos para permitir uma mudança revolucionária – para a agricultura vegana … É uma jornada que acaba de começar, e precisamos de mais gente apaixonada para se juntar a nós. ”

Fonte: LiveKindly