Filme “Noé” promove o veganismo

noé promove veganismoO diretor Darren Aronofsky do filme “Noé” é vegano, e de acordo com o site de notícias Philly.com, ele realmente se utilizou do filme para divulgar o veganismo.

O website afirma que Noé é “definitivamente um marco do veganismo blockbuster, na divulgação da ideia vegan, tecendo-a através de questões relacionadas com a justiça – fé, sacrifício, masculinismo, militarismo, mudança climática, violência, não-violência, e contar histórias – para tornar uma experiência comovente e instigante para quem está prestando atenção.”

Noé e sua família são introduzidos coletando frutas e outros alimentos vegetais, como Noé admoesta “que coletamos somente o que precisamos.” Uma ética ecológica, e também vegana: precisamos comer plantas para sobreviver, mas não precisamos comer animais. Para o membro mais sábio da família, ser um comedor de frutos se transforma em um épico, a busca de afirmação da vida, como se para enfatizar que a fruta literal não era proibida, e o que era “proibido” não era, de fato, uma fruta.

Logo no início, os valores de Noé e seu senso de justiça são expressos em sua tentativa de salvar um animal caçado, mortalmente ferido, momento em que ele tem que explicar para seus filhos surpresos que algumas pessoas realmente comem animais – porque “eles acham que isso vai torná-los fortes”.

Há muitos outros paralelos que o autor do artigo traça entre a história do filme Noé e o veganismo, que não serão aqui citados para não estragar o entretenimento de quem pretende assistir ao filme. Você pode ler os spoilers completos em inglês, no artigo original.

O artigo também ressalta que o filme  não usou um único animal real durante as filmagens.

Ainda de acordo com o site, o imperativo vegano é artisticamente tecido em outros temas – esta não é a única mensagem do filme, apenas a predominante.

O filme Noé estreou dia (03/04) no Brasil.

Veggi e Tal - Receitas veganas, Veganismo e Direitos Animais
© 2012 - 2016