Nova York realizará funeral para as vítimas do Holocausto Animal

Nova York realizará funeral para as vítimas do Holocausto AnimalAmanhã, 16 de abril, um sobrevivente do Holocausto vai liderar uma procissão funeral em Nova York por todos os animais mortos em fazendas industriais até hoje. O sobrevivente vem da Hungria, perdeu sua irmã e seu pai nos campos de concentração nazistas e tem dedicado a sua vida à luta contra as atrocidades cometidas contra os animais.

No Holocaust Remembrance Day, Shimon Shuchat, organizador do ato, que vem de uma família judaica hassídica do Brooklin, levará um grupo de ativistas carregando placas que mostram as atrocidades feitas aos animais em uma vigília à luz de velas.

“Neste momento, as mães vacas estão chorando por seus bebês seqüestrados; leitões estão sendo castrados sem analgésicos; pintinhos machos estão sendo jogados em máquinas de moer; macacos estão sendo torturados em laboratórios; e milhões de animais de fazenda estão fazendo a longa, aterrorizante viagem para um matadouro. Por quê? “, Pergunta Schuchat, que quer que as pessoas liguem os pontos entre o sofrimento animal e humano. “Quando imagens de fazendas industriais são apresentadas lado a lado com imagens do Holocausto, as pessoas podem ver que não há muita diferença. Se apenas algumas dessas pessoas pararem de comer animais, então sabemos que vamos ter feito a diferença “.

Enquanto a invocação do holocausto para promover os direitos dos animais foi repreendida por alguns no passado, um dos principais defensores dos direitos animais hoje, o sobrevivente do Holocausto Alex Hershaft, a sustenta.

Herschaft deixou um gueto judeu de Varsóvia quando tinha cinco anos de idade e perdeu a maior parte de sua família durante a Segunda Guerra Mundial. Passar por esse sofrimento, no entanto, permitiu-lhe fazer a ligação entre os crimes violentos contra pessoas e contra outros animais. Sua compaixão para com a dor dos animais levou-o a fundar o que é hoje a organização sem fins lucrativos Farm Animal Rights Movement (FARM).

“Em seu comportamento para com as criaturas, todos os homens são nazistas”, disse o autor Isaac Besheva Singer. “Para os animais, é uma eterna Treblinka. Os seres humanos vêem a opressão vividamente quando eles são as vítimas. Caso contrário, eles vitimizam cegamente e sem pensar. ”

Estima-se que durante o holocausto, mais de seis milhões de judeus foram mortos. Todos os anos, cerca de 10 bilhões de animais terrestres e 50 bilhões de animais marinhos são mortos por comida. Schuchat espera que a procissão na quinta-feira vá fazer as pessoas ouvirem os “gritos das vítimas silenciosas dos campos de concentração modernos.”

Fonte: Ecorazzi – Their Turn

Arte: Jo Frederiks

Veggi e Tal - Receitas veganas, Veganismo e Direitos Animais
© 2012 - 2016