Na Suíça, gato é prato tradicional da ceia de natal

Ativistas pedem ao governo pela proibição do consumo de carne de gato e de cão no país

gato-suicaUm grupo de direitos animais apresentou uma petição na terça-feira ao governo suíço contendo 17.900 assinaturas, pedindo pelo fim da prática tradicional de comer carne de gato no Natal em algumas áreas rurais da Suíça, relatou a Reuters.

Gatos são preparados em um estilo semelhante ao preparo de coelhos e podem até aparecer em menus de restaurantes, de acordo com Tomi Tomek, fundador e presidente da SOS Chats Noraingue.

Carne de cachorro é muitas vezes usada para fazer salsicha ou usada em um remédio para reumatismo.

Embora não existam estatísticas sobre a quantidade exata de carne de gato e de cão consumida pelos suíços, Tomek disse à AFP que suspeita que “cerca de três por cento dos suíços secretamente comem gato ou cachorro.”

“Você não pode denunciá-los à polícia, porque não há nenhuma lei contra isso”, Tomek acrescentou, falando do fato de que o consumo de carne de cachorro ainda é legal, embora a venda comercial  seja proibida em todo o país. Fazendeiros são livres para matar e comer os seus próprios animais.

Um relatório de 2012 sobre o consumo de animais “de estimação” no jornal suíço Tages Anzeiger chamou a prática de uma “questão cultural” e observou que alguns países criam cães especificamente para abate.

Tomek aponta que a prática ainda é muito popular em regiões como Lucerne, Appenzell, Jura e no cantão de Berna.

O Parlamento suíço rejeitou um projeto de lei que proíbe o consumo de animais domésticos em 1993, mas a SOS Chats Noiraigue, é encorajada pela sua bem-sucedida campanha no ano passado para proibir a venda de pele de gato.

Com informações do site Opposing Views.

Nota do Veggi & Tal: O choque provocado pela tradição alimentar de outras culturas é uma ótima oportunidade para refletir sobre nossas próprias tradições alimentares, e sobre a arbitrariedade de definir um animal como sendo “comida” ou “companhia”.

Veggi e Tal - Receitas veganas, Veganismo e Direitos Animais
© 2012 - 2016