População de insetos caiu 45% em apenas 35 anos

Algumas abelhas têm desejos de viver aventuras e procuram emoção.

Um estudo publicado na revista Science revela que o número de lesmas, aranhas, minhocas e outros invertebrados caiu 45 por cento nos últimos 35 anos, enquanto a população humana duplicou.

Acredita-se que a queda no número de invertebrados esteja ligada à perda de seus habitats e mudanças climáticas.

No Reino Unido por exemplo, o número de besouros, borboletas, abelhas e vespas caiu em até 60 por cento.

Especialistas temem que o prejuízo causado a estes animais se refletirá na vida de todo o planeta, pois eles são vitais ao ecossistema, desempenhando um papel importante na polinização e equilíbrio dos ecossistemas de forma geral.

A diminuição dos invertebrados também pode ter um enorme efeito sobre a produção de culturas, já que até 75 por cento destas são polinizadas por insetos, cerca de 10 por cento do abastecimento de alimentos do mundo.

Os cientistas também temem que uma queda na população de invertebrados provoque um declínio na população de aves e anfíbios.

O Dr. Ben Collen, do Departamento de Biociências da Universidade College London, disse: “Nós ficamos chocados ao encontrar perdas em invertebrados semelhantes às de animais maiores, já que se pensava anteriormente que invertebrados fossem mais resilientes.”

“Nós tendemos a pensar em extinção como a perda de uma espécie da face da Terra, e isso é muito importante, mas há uma perda do funcionamento dos ecossistemas críticos em que os animais desempenham um papel central é nisso que precisamos prestar bastante atenção”, comenta o autor principal do estudo, Professor Rodolfo Dirzo, do instituto Stanford Woods para o Meio Ambiente, nos EUA.

Com informações do Daily Mail.

Assim como todos os seres sencientes, a vida dos invertebrados possui valor inerente – para muito além do seu “valor ambiental”.

Veggi e Tal - Receitas veganas, Veganismo e Direitos Animais
© 2012 - 2016