Julgamento internacional de las corralejas será realizado na França

Pela primeira vez será realizado um julgamento internacional sobre direitos animais

julgamento-corralejasO “Tribunal Internacional sobre os Direitos da Natureza” estudará pela primeira vez um caso sobre direitos animais, durante o World Climate Summit cop21 (Paris, 2015). O caso é colombiano e se trata dos massacres de um touro e um cavalo ocorrido nas corralejas de Turbaco (Bolivar) e Buenavista (Sucre) em 4 e 18 de janeiro de 2015, respectivamente.

O memorial “Caso das corralejas na Colômbia. Violação dos direitos dos animais” que será exposto no tribunal, foi preparado pelo Grupo de Ações Públicas da Universidade Javeriana, em Bogotá, coletivo Advogados pelos Animais e a AnimaNaturalis International. O Tribunal foi criado em 2010, em Cochabamba (Bolívia) na “Conferência Mundial dos Povos sobre a Mudança Climática”. A sua criação é o resultado da “Declaração dos Direitos da Natureza”, que reconhece o valor inerente à mãe terra e aos direitos dos animais, e estabelece as obrigações dos seres humanos à eles, incluindo seus direitos a existir e a manter e regenerar seus ciclos de vida.

Este ano será a terceira reunião do Tribunal, que até agora já ouviu e aprovou uma dezena de casos, incluindo um caso envolvendo a Chevron no Equador e o fraturamento hidráulico (fracking) nos Estados Unidos, e ocorre sob a presidência de Autoridades científicas e acadêmicas como Vandana Shiva, Prêmio Nobel Alternativo em 1993, e Alberto Acosta, ex-presidente da Assembléia Constituinte do Equador em 2008.

As reuniões especiais criadas em 2014 para dar continuidade aos julgamentos foram conduzidas por personalidades acadêmicas, como Boaventura de Sousa Santos. Este ano, o encontro será presidido por Cormac Cullinan, Diretor do “South African Environmental Law”, Diretor Executivo do “EnAct International” e autor de Wild Law: A Manifesto for Earth Justice.

“Nossa expectativa é que o Tribunal aceite o caso após ouvir os argumentos e analisar as provas que apresentaremos. Então que emita sentença e nela declare responsável o Estado colombiano por sua conduta permissiva e negligente em relação à violência contra os animais, e lhe faça um chamado para aderir à Declaração e que legisle em benefício dos animais e do reconhecimento de alguns direitos mínimos para eles, sem exceção “, disse Andrea Padilla, porta-voz da AnimaNaturalis na Colômbia.

“O memorial é detalhado em expor os danos que os massacres em questão causaram para os animais e como as corralejas, entre outros fenômenos, estão enraizados nas mesmas lógicas opressoras e destrutivas que violam a natureza. Por isso, nós também argumentamos danos à dignidade humana e da sociedade como um todo “, acrescentou a porta-voz.

A apresentação do caso será em 5 de dezembro, na Maison des Métallos em Paris.

Com informações da Anima Naturalis

Veggi e Tal - Receitas veganas, Veganismo e Direitos Animais
© 2012 - 2016