Moradores de vários pontos do DF plantam e colhem vegetais no “quintal” de casa

Porém, como a ação é feita em área pública, é debatida pelas administrações regionais

hortas-defEm meio ao asfalto das vias e do concreto dos prédios, uma pequena área verde destinada ao cultivo de alimentos   virou tendência na capital. Com incontáveis benefícios à saúde, não é à toa que as hortas caíram nas graças dos moradores de várias regiões do DF. Além de estimular o contato com a natureza, conhecer o processo do plantio e ter a facilidade de colher vegetais frescos a qualquer hora, a pequena plantação ainda incentiva a interação da comunidade. Porém, como a ação é feita em área pública, é debatida pelas administrações regionais.

Na Asa Norte, moradores da Quadra 109 fizeram uma horta, próxima ao comércio. No Sudoeste, o cultivo é feito na lateral do Parque Bosque. Idealizada  pelo eletricitário Osvaldo Dalvi, 62 anos, a horta  é motivo de   orgulho para a   maioria da vizinhança. Apaixonado pelo campo desde pequeno, Osvaldo começou a cuidar do local em abril do ano passado, após ser “provocado por um pequeno pé de tomate”.

Segundo ele, desde então, a  plantação só cresceu. “Faço ginástica no parque, sempre passo por aqui, pois é caminho da minha casa. Um dia, avistei um pé de tomate e comecei a cuidar dele. No fim de 2014, eu   comecei a limpar o espaço para começar a horta. Faz parte de mim colocar a mão na terra. Essa horta é uma extensão da minha casa”, conta, ressaltando que o cultivo é público. “Fico triste quando alguém me pergunta se pode colher, eu não sou dono de nada. Quero ver as pessoas à vontade, foi feito para ser compartilhado”.

Para os moradores, a ideia  merece aplausos. De acordo com a gerente de projetos Raisa Ojala, 37, a iniciativa é também educativa. “Acho a horta maravilhosa. Sempre que venho com a minha filha aqui, tento ensinar o nome das plantas e de onde vem a comida”, comenta.

Hortaliças ocupam terreno baldio

Empenhados em ocupar espaços públicos  para o cultivo orgânico de hortaliças, ervas medicinais e árvores frutíferas, um grupo de moradores criou o Hortas de Águas Claras, que se apropria de alguns locais  na região. Entre eles, a horta comunitária  na Avenida das Paineiras  foi realizada em um terreno baldio, onde estava prevista a construção do Parque Central de Águas Claras.

“Resolvemos ocupar o espaço para impedir uma  construção  na área e pressionar  para tirar o parque do papel. Pelo menos, agora, o espaço tem uma utilidade”, afirma um colaborador do projeto, o servidor público Daniel Pereira, 36.

A moradora Shirley Araújo, 38, servidora pública, destaca a importância da atividade para os idosos. “É um trabalho de socialização,  uma doação de todos nós. Ninguém aguenta mais viver rodeado de concreto”, conclui.

Fonte: Da redação do Jornal de Brasília

Veggi e Tal - Receitas veganas, Veganismo e Direitos Animais
© 2012 - 2016