Retrocesso: parecer que transforma rodeio e vaquejada em patrimônio cultural é aprovado

No mês de maio, rodeios são proibidos em diversas cidadesA Comissão de Constituição e Justiça e de Cidadania da Câmara dos Deputados aprovou na terça-feira (01) o substitutivo do relator, deputado Efraim Filho (DEM-PB) ao PL 1.554/2015, de autoria do deputado Pompeo de Mattos (PDT-RS), que eleva o Rodeio, a Vaquejada, bem como suas respectivas expressões “artístico-culturais”, à condição de manifestação cultural nacional e de patrimônio cultural imaterial.

Conforme o substitutivo aprovado na CCJ, o Rodeio, a Vaquejada, bem como suas respectivas expressões artístico-culturais, passam a ser consideradas manifestações da cultura nacional.

O texto considera patrimônio cultural imaterial do Brasil o Rodeio, a Vaquejada e expressões decorrentes, como: I – montarias; II – provas de laço; III – apartação; IV – bulldog; V – provas de rédeas; VI – provas dos Três Tambores, Team Penning e Work Penning; VII – paleteadas; e VIII – outras provas típicas, tais como Queima do Alho e concurso do berrante, bem como apresentações folclóricas e de músicas de raiz.

Já a Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) dos Maus-Tratos de Animais discute a proibição dessas práticas, ao mesmo tempo em que a Comissão de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável analisa regras para rodeios e vaquejadas (PL 2452/11).

Em 8 de julho, a Comissão de Agricultura, Pecuária, Abastecimento e Desenvolvimento Rural rejeitou o Projeto de Lei 2086/2011 de autoria do deputado Ricardo Tripoli (SP), que pretendia proibir as provas de laço, vaquejada e outras modalidades praticadas com animais nos rodeios do Brasil.

Via: MaisPBÚltimo Segundo

Veggi e Tal - Receitas veganas, Veganismo e Direitos Animais
© 2012 - 2016