Plantas também sentem?

plantas também sentem?É comum que pessoas que se opõem ao veganismo utilizem como argumento para tentar invalidá-lo, o fato de que vegetais também são seres vivos, e que por isso não é coerente não comer animais mas comer plantas. Sustentam também uma suposta senciência das plantas, argumentando que estas também “sofrem”. Vamos questionar estes argumentos aqui.

Inicialmente, vamos esclarecer o significado de senciência:  Consiste em “capacidade de um ser de sofrer ou sentir prazer ou felicidade”.

É  fato que plantas podem reagir a estímulos. Entretanto, até organismos estruturais como células e proteínas respondem a estímulos. Esta capacidade não é igual a ter senciência. Plantas podem ter mecanismos de defesa, atração, estratégias de dispersão de sementes ou captura de presas; mas nada indica que elas experimentem dor ou sentimentos. Mesmo que as plantas tenham algum tipo de sensibilidade, ela seria muito diferente da senciência dos animais – os próprios estudos que tratam da sensibilidade das plantas constatam isso.

O objetivo da dor e do sofrimento é de servir de alerta ao animal, possibilitando a fuga. Não possuem as plantas vantagens evolutivas no sofrimento ou na dor, tampouco sistema nervoso central ou cérebro, ou consciência de si.

Devemos desenvolver um senso de responsabilidade perante à vida como um todo, buscando causar o mínimo possível de exploração e dano aos demais seres. Neste aspecto, não há nada que desabone o veganismo, pelo contrário: mesmo se utilizando de produtos de origem vegetal, o vegano ainda poupa muitas plantas em comparação àqueles que se beneficiam de exploração animal – os animais de criação para os mais diversos fins, consomem enorme quantidade de alimento vegetal e contribuem significativamente para a degradação ambiental.

O veganismo, aliado à uma agricultura ecológica e a consciência de se causar o menor impacto à vida, respeita e contribui para a preservação da vida vegetal e do meio ambiente.

Referências: ConsciênciaEcodebate

Veggi e Tal - Receitas veganas, Veganismo e Direitos Animais
© 2012 - 2016