Probióticos

Saiba o que são e quais deles são indicados para veganos

iogurte vegetalO termo Probiótico deriva do grego e significa “pró-vida”, sendo o antônimo de antibiótico, que significa “contra a vida”.

A definição mais atual de probióticos é: suplemento alimentar, rico em microorganismos vivos, que afeta de forma benéfica seu consumidor, através da melhoria do balanço microbiano intestinal.

Vários microorganismos são reconhecidos como probióticos. As mais conhecidas bactérias que exercem essas funções no organismo são as Bifidobacterium e Lactobacillus.

As espécies de probióticos mais utilizadas são:

– Especialmente o Lactobacillus acidophillus
– Lactobacillus casei
– Lactobacillus rhamnosus
– Lactobacillus reuterii
– Enterococus faecium
– Bifidobacterium adolescentis
– Bifidobacterium breve
– Bifidobacterium bifidum
– Bifidobacterium infantis
– Bifidobacterium longum

Os alimentos Probióticos aumentam de maneira significativa o valor nutritivo e terapêutico dos alimentos, pois ocorre maior produção e absorção de vitaminas do complexo B e aminoácidos fundamentais ao sistemas imune e neurotransmissor; aumentam a absorção e fixação de cálcio e ferro, além de outros minerais;fortalecem o sistema imunológico através de maior produção de células protetoras (portanto na redução do risco de câncer e doenças infecciosas de repetição); possuem efeito funcional benéfico no organismo, equilibrando a flora intestinal, atuando na capacidade do organismo se desintoxicar de excessos e venenos.

Como microorganismos, os probióticos normalmente são termo-sensíveis e têm pouco tempo de vida, por isso mesmo, devem ser mantidos bem refrigerados. Ao serem ingeridos, integrados aos alimentos, vão para o intestino e ali se integram à flora já existente, sem se fixarem, mas auxiliando no trabalho de absorção dos nutrientes.

Os probióticos veganos são:

– Alimentos fermentados, como:  kefir, picles, misso, tempeh e chucrute;

– Probióticos em forma de pó ou cápsulas, cultivadas em açúcar (maltodextrina ou fruto-oligossacarídeos). Podem ser encontrados em lojas de produtos naturais e farmácias (tenha especial atenção à forma de cultivo, pois alguns dos probióticos mais comuns são cultivados em lactose). Esta é forma mais benéfica ao organismo, já que contém 100 a 1000 vezes maior concentração de bactérias do que a contida num alimento fermentado.

Os probióticos encontrados na forma de cápsulas ou pó podem ser consumidos diretamente, diluídos em água ou suco, ou adicionados a leites e queijos vegetais, onde os deixamos fermentar, criando assim uma alternativa vegana para os laticínios.
Não há uma regra para a fabricação caseira destes alimentos, sendo que a quantidade utilizada e qualidade da fermentação vai variar de acordo com a composição do probiótico e tipo de alimento a ser fermentado. Alimentos derivados de soja são os mais facilmente fermentados, pois a soja é rica em proteínas.
Para a utilização com finalidade de fermentação de alimentos veganos, é importante que haja entre elas ao menos uma das bactérias mais comuns para fermentação na composição: bulgaricus, acidophilus ou thermophilus.

Referências: Doce Limão

 

Receitas:

Iogurte de coco |iogurte de soja | queijo vegano de iogurte

Veggi e Tal - Receitas veganas, Veganismo e Direitos Animais
© 2012 - 2016