Com destino incerto, animais dos circos do México podem ser mortos

direitos-animaisO chefe da associação de proprietários de circo do México diz que os animais de seu grupo podem morrer ou ser mortos por causa da proibição de atos de animais em circos.
Armando Cedeno disse que as novas leis que proíbem o uso de animais não fazem nenhuma menção a quem vai mantê-los quando não puderem mais “trabalhar”.

“Se nós não pudermos alimentá-los, nós vamos ter que ‘colocá-los para dormir’. Não temos outra opção”, disse Cedeno.

Ele cita que cerca de 200 circos no México têm autorização para usar animais, de modo que o número de animais afetados poderá ser de milhares.

A proibição federal liderada pelo Partido Verde do país está definida para entrar em vigor em julho. Mas a Cidade do México e vários outros estados já aprovaram as proibições, que se destinam a proteger os animais.

Os Ringling Bros. e Barnum & Bailey Circus não irão para o México este ano por causa destas proibições, disse recentemente seu porta-voz, Stephen Payne.

Os proprietários de circo dizem que a lei faz pouco para proteger os animais que trabalham no circo e não diz nada sobre as touradas, que ainda são legais no México, assim como as rinhas de galo.

Doze dos 31 estados do México já cumprem a proibição. A lei federal entra em vigor dia 08 de julho.

A nova lei exige que os circos apresentem a lista dos animais que possuem, que será disponibilizada para zoológicos interessados em  receber os animais. Mas com os zoológicos públicos do México precisando de dinheiro, não está claro se eles irão receber qualquer um destes animais de circo.

Com informações do site The Yucatan Times.

Veggi e Tal - Receitas veganas, Veganismo e Direitos Animais
© 2012 - 2016