Proteína vegetal te faz viver mais, conclui estudo

quinoa

O consumo de alimentos de origem animal é comumente associado à ingestão adequada de proteínas, tanto que muitos ainda acreditam equivocadamente que quem segue uma dieta plenamente vegetariana sofra com a falta deste nutriente.

Mas um amplo estudo, publicado no JAMA Internal Medicine Journal, reacende o debate sobre o benefício da dieta vegetariana estrita, cada vez mais conhecida do público em geral – ele mostra que proteínas vegetais são, na verdade, a melhor escolha para a nossa saúde.

Quem segue uma alimentação 100% vegetariana têm taxas de mortalidade substancialmente mais baixas do que quem consome produtos de origem animal, descobriu-se. As informações são do Independent.

A pesquisa foi realizada por cientistas do Massachusetts General Hospital, que acompanharam os registros de saúde e dieta de mais de 130.000 pessoas, ao longo de trinta anos.

Eles descobriram que cada três por cento de aumento no consumo de calorias de proteína vegetal reduzia o risco de morte em dez por cento. E uma redução de doze por cento no risco de morrer por doença cardíaca.

Em contraste, o aumento da ingestão de proteína animal em dez por cento na dieta elevava para dois por cento o risco de morte por todas as causas. E foi observado um aumento de oito por cento na chance de morte por doença cardíaca.

Substituir ovos por proteína vegetal levou a uma redução de 19 por cento no risco de morte e eliminar carne vermelha não processada levou a uma queda de 12 por cento.

Como seria de se esperar, o risco pronunciado estava entre pessoas envolvidas em outras circunstâncias não saudáveis, incluindo histórico por fumar, beber muito ou ser obeso.

No entanto, recomenda-se cautela na interpretação dos resultados, já que outros fatores sociais e ambientais mais complexos poderiam afetá-los, em vez estarem apenas relacionados com a dieta. Por exemplo, vegans são mais propensos a serem mais jovens do que a população em geral e, portanto, têm taxas de mortalidade muito mais baixas.

A cientista principal, Dra. Mingyang Song, disse que: “Embora estudos anteriores tenham se centrado principalmente na quantidade total de ingestão de proteínas – o que é importante – do ponto de vista dietético amplo, os alimentos em particular que as pessoas consomem para obter proteína são igualmente importantes.”

Veggi e Tal - Receitas veganas, Veganismo e Direitos Animais
© 2012 - 2016