A relação de uma galinha com seus ovos

galinha-ovos

Crédito da imagem: Pixabay

Galinhas, como todos os animais, têm uma linguagem única para a sua espécie. Cada sequência de sons que emitem tem um significado social, emocional ou pessoal. E se você passar tempo suficiente em torno dessas amigas emplumadas, você começará, como eu, a ouvir as histórias que estão contando.

A chamada do galo convocando as galinhas para jantar,
Os rápidos peeps dos pintinhos enquanto procuram por sua mãe,
O cluck oscilante de uma galinha quando ela dá à luz a um ovo …

De todas as chamadas de galinhas que aprendi durante o ano em que passei trabalhando em diferentes fazendas orgânicas, acho que foi o canto de postura de ovos que mais me chocou. De alguma forma eu tinha pensado que seria um processo quieto, que as galinhas se esgueirariam para o seu esconderijo favorito e pacificamente começariam seu ninho. Enquanto as galinhas tentam encontrar a solidão, à medida que o processo de postura começa, elas também começam a emitir um padrão inconfundível de clucks rápidos e constantes, acentuados por um “Bwak!” notavelmente mais alto no final de cada seqüência. Elas cantam essa canção com tanta intensidade, de olhos arregalados e agitados, até que o ovo finalmente tenha sido empurrado para fora. Não ter nascido uma galinha poedeira já deveria ser o suficiente para qualquer um ser grato.

Embora as galinhas poedeiras de hoje sejam descendentes da Galinha Vermelha (Gallus gallus) que colocava cerca de 60 ovos pequenos por ano, a maioria das galinhas domésticas modernas foram criadas para colocar mais de 300 ovos grandes por ano.

Quando livre para se comportar “naturalmente”, a maioria das galinhas vai colocar o número de ovos que desejam para um ninho adequado e, em seguida, parar de produzir mais ovos até que seus filhotes estejam grandes o suficiente para se defender. O tempo antes de seus ovos eclodirem, enquanto ela se senta em seu ninho aquecendo e protegendo seus ovos, é chamado de “chocar”.

Se os ovos de uma galinha forem removidos regularmente, ela continuará a deitar no ninho, numa tentativa fútil de seguir seus instintos e formar uma ninhada apropriada. Na verdade, os instintos de nidificação de uma galinha são tão fortes que elas continuarão a tentar construir uma ninhada, haja ou não um galo presente para fertilizar seus ovos.

Acredita-se que as galinhas não sabem se os ovos foram fertilizados com sucesso.

Até agora a minha empatia por estas pequenas fêmeas emplumadas deve ser evidente, mas infelizmente nem sempre foi tão presente. Durante meu tempo trabalhando em torno de galinhas, houve um número de experiências que mudaram minha perspectiva sobre os ovos e abriu meu coração para as galinhas que os colocaram. O primeiro começou fazendo um caseiro omelete de ovos “frescos da fazenda”, que um amigo coletou. Eu quebrei dois ovos sem problema. Mas no terceiro, em vez de uma gema e ovos brancos, um pequeno e parcialmente formado pintinho fluiu na frigideira. Senti um nó na garganta. De alguma forma, ver o início de um corpo em um dos ovos que eu estava prestes a comer parecia tão diferente para mim do que simplesmente ingerir um óvulo não fertilizado. De repente ovos não eram mais algo que você simplesmente pega no supermercado. Em vez disso, eu vi-os como o começo de uma galinha.

A segunda experiência que mudou a minha perspectiva foi o dia em que fui confrontada pegando ovos diretamente de uma galinha nidificando. Nesta manhã em particular eu estava ajudando a cortar algumas lavandas em uma fazenda em que estava me voluntariando. Meu anfitrião e eu estávamos bem cortando lavandas, quando de repente ouvimos um agitado clucking abaixo de nós. Quando voltamos para um dos arbustos, descobrimos uma grande galinha  preta que tinha começado um ninho. Ela estava tentando proteger sua ninhada dos intrusos pairando acima dela, mas esta galinha não era uma regatada. Ela tinha sido trazida para a fazenda para produzir ovos, e mesmo que ela tenha sido inteligente o suficiente para tentar um ninho longe do galinheiro, seus ovos não foram considerados seus.

Como conseguimos que ela saísse de seu ninho é um pouco nebuloso em minha memória, mas eu acredito que a distraí enquanto minha parceira no crime a pegou rapidamente. E então arranquei seus ovos de debaixo dela. Eu coloquei rapidamente os ovos na geladeira para a equipe da fazenda levar para casa, e nós achamos que ela não tinha sentado no ninho tempo suficiente para os pintinhos se formarem.

Quando voltei lá fora, encontrei a galinha preta que, freneticamente, entrava e saía da lavanda, chamando suas companheiras galinhas, algumas das quais correram para ajudá-la enquanto continuava procurando os ovos que faltavam. Eu tentei empurrar minha culpa de lado e continuar o meu dia. Mas quando voltamos para o almoço, horas depois, ela ainda estava lá se movendo lentamente dentro e fora da lavanda e murmurando para si mesma o quanto ela procurou em vão.

Eu expressei a minha culpa para o meu anfitrião e debatemos sobre se deveríamos colocar os ovos de volta. Finalmente foi decidido que era muito tarde, os ovos tinham sido refrigerados por muito tempo e nós tivemos que deixar pra lá.

Cada ovo colocado tinha de alguma forma drenado de seu corpo cálcio e outros nutrientes essenciais desnecessariamente, encurtando sua vida para alimentar seus captores. E agora, não importa o quanto seus pequenos olhos tristes procurassem, todo seu trabalho estava perdido.

Algumas galinhas (se não tiverem sido debicadas) comerão seus próprios ovos não fertilizados se o ovo quebrar, se estiverem sob estresse, para repor nutrientes perdidos da postura (se estiverem faltando nutrientes), ou se não houver suficiente espaço no ninho.

O que é um ovo para uma galinha?

Cada galinha, como cada pessoa, é diferente. Algumas são distraídas, fazendo ninhos no meio do quintal. Outras são agressivas e reservadas, tentando bicar os pés de qualquer transeunte. E outras são como a mãe galinha da lavanda, ligando para cada ovo que colocam.

Não importa a personalidade, não importa onde ou como o ovo é colocado, não importa se é fertilizado ou não, cada ovo é o começo de uma galinha. E a cada minuto que eu assistia aquela grande galinha preta procurando e chamando, horas depois de seu ninho ter sido roubado, eu sabia que não importa como definimos seu relacionamento com seus ovos, eles não são nossos para pegar …

Escrito por Alisa Rutherford-Fortunati para o Gentle World, com tradução livre do Veggi & Tal

Veggi e Tal - Receitas veganas, Veganismo e Direitos Animais © 2012 - 2017