A Soja na saúde humana

a soja na saúde humanaNão existe aqui a pretensão de que a soja substitua integralmente outros alimentos ou que seja exclusiva na despensa. Mas é inegável que seu alto valor protéico e nutricional devem ser aproveitados no preparo com outros alimentos.

A Soja, apesar da sua nobreza, tem sido “a vítima, a vilã, a bode-espiatório”, de assuntos polêmicos como a biotecnologia, os transgênicos, os anti-nutricionais das leguminosas, a devastação da região centro-oeste brasileira.

Mas não podemos, nem devemos esquecer que, apesar da soja estar sendo este “alvo”, um instrumento importante por abrir discussões tão complexas, ela não deixa de ser este alimento de elevada qualidade nutricional, com propriedades nutracêuticas que, se adequadamente consumido, pode trazer inúmeros benefícios para a saúde humana.

Diversos estudos científicos revelam que a soja e seus derivados ajudam a prevenir doenças crônicas e degenerativas como a osteoporose, o câncer de mama, de cólon, de próstata, de pulmão e de esôfago, e atenua os sintomas da menopausa e tensão pré-menstrual.

Assim, este é o primeiro texto desta série “Soja na saúde humana”, todos extraídos do meu livro “Soja – Nutrição & Saúde” (Editora Alaúde), cujo objetivo é apresentar aos leitores deste site as formas e porquês da soja ser tão importante na alimentação humana.

Em 1999, o FDA (Food and Drug Administration) apresentou documentação que revela que o consumo de 25 g de proteína de soja por dia pode prevenir doenças cardíacas e reduzir os níveis de colesterol no sangue.

Não há dúvidas de que a soja é um alimento extremamente saudável, mas que ainda não ganhou o merecido espaço. Alguns se queixam de seu sabor, mas convém dizer que já existem variedades mais saborosas e adaptadas ao consumo humano, além do que, quando devidamente preparada, resulta em pratos deliciosos.

Em que pese essa significativa importância, existem questionamentos sobre seu consumo indiscriminado, porque ela tem aspectos sobre a sua composição e a forma adequada de cozimento, que devem ser observados para ser usada como fonte segura de saúde. Tudo isto está abordado com profundidade no capítulo “Entendendo as críticas sobre a Soja” do meu livro citado acima.

Mas agora é hora de falar com profundidade das vantagens da soja e a sua influência na saúde humana:

É um dos alimentos de origem vegetal que apresenta o maior teor de proteínas, contendo quase todos os aminoácidos essenciais que o corpo humano necessita para construir e renovar células. Consumida em conjunto com cereais integrais, substitui as proteínas de origem animal com inúmeras vantagens.
É uma fonte proteína que não contém compostos purínicos, que são os responsáveis pela formação do ácido úrico no organismo. Assim sendo ela é muito recomendada como alimento na dieta de doenças como artrite, gota, etc.
Por ser fonte de proteína vegetal não causa lesões ou inflamações da pele e mucosas, mesmo em pessoas sujeitas a alergias de fundo hepático.
Contém tiamina, niacina e riboflavina, fatores do complexo vitamínico B, raros em alimentos de origem vegetal, mas essenciais para o desenvolvimento e manutenção de nervos e pele.
Contém isoflavonas, um fitoestrógeno moderado, um repositor hormonal natural, que previne os cânceres de próstata, de ovários e de mama, problemas cardiovasculares e a osteoporose.
Contém fitatos, que desde a década de 90 foram reconhecidos por sua ação antioxidante sobre os radicais livres, protegendo o organismo contra danos celulares combatendo o envelhecimento das células, órgãos e sistemas, principalmente o cardiovascular.
Atua positivamente nas doenças causadas por fungos, como micoses e candidíase.
Devido ao seu poder de alcalinizar e fluidificar o sangue, a soja é indicada para pessoas em convalescença, com baixa resistência a enfermidades e em processos degenerativos do fígado, rins e/ou artérias.
Pelo seu baixo índice glicêmico, seu elevado teor de fibras e a presença da lecitina, é um alimento benéfico para diabéticos, reduzindo inclusive as necessidades de insulina.
Pelo seu elevado teor de proteínas, óleos nutricionais e lecitina de soja, é indicada para pessoas com subnutrição, baixo desempenho escolar e de memória.
Pelos mesmos motivos acima é indicada para controlar quadros de colesterol elevado, como também prevenir e tratar problemas cardiovasculares.
Pelo elevado teor de fibras e oligossacaídeos, é indicada para modificar a flora intestinal, ajudando em casos de colite e outras afecções crônicas agudas, como as diarréias, a constipação e o câncer do cólon.

Enfim, a soja é inegavelmente um alimento funcional que nutre, mas que também previne e trata doenças.

Entretanto, existe uma tendência do ser humano ao descobrir algo que é saudável, exagerar na dose, para compensar o desconhecimento ou a negligência para com a saúde anteriormente praticada.

Alimentos funcionais previnem deficiências imunológicas, assim como doenças crônicas e degenerativas, quando aliados a uma vida saudável, promovendo longevidade e qualidade de vida.

Portanto, não se trata de consumir determinado alimento funcional com alta freqüência ou grandes quantidades, mas de consciência, bom senso e a motivação correta da decisão por novos hábitos alimentares. Se um remédio exige cuidados na dosagem e posologia, um alimento funcional também.

E mais, a integração da soja e seus derivados com outros alimentos também saudáveis e complementares, será fundamental.

Portanto, cereais integrais como o arroz, trigo, centeio ou milho, frutas, legumes e verduras, preferivelmente frescos e orgânicos serão sempre muito bem vindos nas receitas e refeições onde a soja estiver presente, para o bom planejamento e implementação da saúde.

O ponto-chave é ingerir suficiente soja de maneira regular. Este é um aspecto cultural que nos diferencia dos orientais, pois na dieta brasileira praticamente não há consumo de soja e derivados.

Cabe sempre lembrar que a saúde envolve um conjunto de hábitos saudáveis onde a alimentação é um deles. Uma alimentação saudável significa:

Nutrir-se bem
Respirar bem
Hidratar-se bem
Ter atividade física moderada e freqüente
Relaxar e praticar o lazer

Texto extraído do livro Soja – Nutrição & Saúde – Conceição Trucom – Editora Alaúde.

Conceição Trucom é química, cientista, palestrante e escritora sobre temas voltados para a alimentação natural o bem-estar e qualidade de vida. Leia mais sobre a soja no site da autora: Doce Limão

Veggi e Tal - Receitas veganas, Veganismo e Direitos Animais
© 2012 - 2016