Testes em animais para cosméticos no Brasil: Retrocesso

Testes em animais para cosméticos no Brasil: RetrocessoO Conselho Nacional de Controle de Experimentação Animal (CONCEA), que regulamenta a experimentação animal e de pesquisa no Brasil , reuniu-se em 20 de Março para votar uma proposta detalhada da HSI demonstrando que a proibição de testes em animais era cientificamente possível e benéfica. No entanto, apesar do apoio de mais de 170 membros do Congresso Federal, dezenas de milhares de assinantes da petição e uma pesquisa de opinião pública mostrando que dois terços dos brasileiros apoiam a proibição dos testes, CONCEA falhou em considerar devidamente o pedido.
Em vez disso, o CONCEA propôs um regulamento geral obrigando os laboratórios a utilizar alternativas em testes de animais no mais tardar em cinco anos após a sua validação. No entanto, este princípio tem sido uma exigência legal no Brasil desde 1998, contanto sem o atraso de cinco anos, tornando este passo um retrocesso. Além disso, como adepto da OCDE, aceitação mútua de acordo de dados, as autoridades brasileiras são requeridas a aceitar os resultados dos métodos de testes sem o uso de animais reconhecidos internacionalmente assim que eles se tornam diretrizes da OCDE, mais uma vez , sem atraso .
Helder Constantino , porta-voz da Liberte-se da Crueldade Brasil da HSI , disse: ” É uma vergonha que os reguladores brasileiros não conseguiram respeitar a opinião pública, ignorando o nosso pedido para banir o teste em animais para a industria de cosméticos. Ao fazer isso, eles estão permitindo que os animais continuem a sofrer e morrer para produtos de vaidade, mesmo que isso vá de encontro ao desejo de milhões de brasileiros e seus representantes, que manifestaram de forma consistente a sua forte oposição a esta prática. Esta é a chance do Brasil para se juntar a outras nações progressistas, enviando o teste em animais para os livros de história. Nós não devemos desperdiçá-la e por isso apelamos ao ministro da Ciência, Clélio Campolina Diniz para intervir”.

Fonte: Pravda

Veggi e Tal - Receitas veganas, Veganismo e Direitos Animais
© 2012 - 2016