Tribunal alemão: matar pintinhos machos está ‘alinhado’ com a proteção animal

Um tribunal alemão determinou que o abate maciço de pintinhos machos não viola as leis de proteção aos animais. Os fazendeiros dizem que os machos não fornecem ovos e pouca carne; ativistas dos direitos animais condenam a prática de assassinato.

pintinhos-moidosOs fazendeiros que abatem pintinhos machos indesejados de poucos dias de idade “estão no seu direito”, determinou o Tribunal Superior Administrativo na cidade alemã de Münster, nesta sexta-feira.

O tribunal disse que os “aspectos éticos de bem-estar animal e interesses de uso humano” precisam ser pesados uns contra os outros.

Foi decidido que as leis de proteção animal permitem que animais sejam abatidos se houver sólidas razões econômicas para o fazer.

“Criar pintinhos machos não está em consonância com o objetivo declarado de criação de galinhas e suas diretrizes de negócios”, afirmou o tribunal, argumentando que matar os filhotes era “parte do processo para proporcionar à população ovos e carne.”

Pintinhos machos são geralmente considerados inúteis aos agricultores por não produzirem ovos e terem pouca carne.

Os filhotes de poucos dias de idade são simplesmente moídos vivos em uma trituradora ou gaseados utilizando dióxido de carbono. Uma pequena parte é utilizada para alimentação animal. Ativistas dos direitos dos animais condenam a prática e a equiparam com assassinato em massa.

De acordo com o tribunal, os fazendeiros abateram 45 milhões de pintinhos machos em 2012.

O caso acabou nos tribunais depois que oeste do estado de North Rhine-Westphalia tentou proibir a matança de pintos machos por razões econômicas. O ministro da Agricultura do estado, Johannes Remmel do Partido Verde, disse que “temos de finalmente parar de tratar os animais como lixo”, mas reconheceu que teria de aceitar o revés de sexta-feira.

Embora a decisão não tenha efeito em todo o país, ela provavelmente vai ser referenciada caso a questão surja em outro tribunal alemão.

O governo alemão também já rejeitou uma proibição, e o ministro da agricultura nacional,  conservador bávaro Christian Schmidt, defendeu “uma alternativa prática para a trituração de pintinhos em 2017.” Isso envolveria uma tecnologia a laser  que permitiria que o sexo futuro dos pintinhos dentro de ovos fosse determinado antes que chocassem. No entanto, os juízes na sexta-feira disseram que este método ainda não estava pronto para a aplicação prática.

Fonte: Deutsche Welle

Veggi e Tal - Receitas veganas, Veganismo e Direitos Animais
© 2012 - 2016