Veganas ou veganos comem venenos?

19/03/2017 – Dr. phil. Sônia T. Felipe

Sim. Como todo mundo que come vegetais cultivados com venenos. Venenos aprovados por Deputados que foram eleitos com granas de campanhas pagas por empresas agronegocistas de todo tipo.

Mas, agora imagina só um boi comendo 20 kg de plantas envenenadas todos os dias, por uns três anos (1095 dias), vacas idem, sem excluir aqui porcos (140 dias), perus (150 dias) e frangos (43 dias), todos recebendo dia e noite só comida cultivada com pesticidas. Os animais comendo os pesticidas. Os pesticidas se acumulando em todos os tecidos e secreções deles.

São três milhões de toneladas de pesticidas aplicados por ano na agricultura ao redor do mundo (Cf. The face on your plate, do médico psicanalista Jeffrey Moussaieff Masson), com mais de 1.600 produtos químicos nunca testados por sua letalidade, carcinogenicidade, mutagenicidade ou teratogenicidade.

Sabe-se que a maior parte dos cancerígenos são lipofílicos, quer dizer, agarram-se às moléculas de gordura. E gordura é o que não falta nas carnes nem nos leites, mesmo nos “magros”. Razão pela qual um veneno concentrado em carnes e laticínios é mais nocivo do que um veneno sem gordura à qual se ligar. Os venenos cancerígenos lipossolúveis ingeridos seguem sua natureza e se instalam outra vez no tecido gorduroso de quem come alimentos envenenados cumulativamente, o caso de carnes e laticínios, por exemplo.

A pessoa toma o leite extraído da vaca e come a carne dela ou do boi alimentado com comida cheia de veneno. Dá umas 22 toneladas só de comida digerida e assimilada por bovino até o abate. Não estou colocando aqui todos os antibióticos e hormônios injetados nos animais para que não morram antes da data da sentença agendada para o abate, nem calculando os metais pesados presentes ali nesses alimentos. Essa carne e esse leite vão estar muito limpos de venenos, não é mesmo? E nem vou falar da água que o bovino tem que beber, uns 30 a 50 litros por dia, o que soma de 32 a 55 mil litros em três anos, contaminadíssima também. Total, umas 70 toneladas de matéria cheia de veneno no período da vida infeliz do animal.

E nós, veganas e veganos, comemos aquele quilograma de alimentos vegetalizados por dia e somos quem “mais se envenena”? Tem gente que nunca raciocina, só mexe o indicador sobre a tela de um aparelhinho de um lado para o outro, achando que isso é atividade intelectual, cognitiva?

Para alguma coisa deve servir este orgulho antropocêntrico e especista de se estar no “topo da cadeia alimentar”, não? Serve, sim. Muito bem. Para se entupir com todos os venenos que os animais nas camadas abaixo da “cadeia” devoraram.

Quando penso em quem come carnes, seja de bovinos, avinos, suínos ou piscinos (salmão, por exemplo) em nome da própria saúde fico tão nervosa que não sei se rio ou se explodo. Geralmente me contenho e explico a desgraça que é ingerir carnes achando que delas vai extrair saúde. Jamais irá! Destruímos a saúde e a vida dos animais e queremos comer suas carnes de modo “saudável’? Sabe de nada o inocente! Mas para tais inocências já não há perdão. Animastê sempre!