Grupo vegano defende o consumo de alimentos sustentáveis na Rio+20

veganos-rio+20Vestidos de porco, galo, vaca e urso, manifestantes distribuíram sanduíches produzidos sem agrotóxicos e sem ingredientes de origem animal

Rio de Janeiro – Defensores da alimentação vegan, que respeita o direito dos animais, ocuparam hoje (16) uma das laterais do Riocentro, local onde ocorrem as discussões políticas da Conferência das Nações Unidas sobre Desenvolvimento Sustentável (Rio+20), buscando sensibilizar os participantes do evento.

O protesto bem-humorado e simpático reuniu manifestantes vestidos com fantasias de porco, galo, vaca e urso, que distribuíram sanduíches produzidos sem agrotóxicos e sem ingredientes de origem animal, além de panfletos informativos. Os manifestantes quiseram mostrar que a sustentabilidade depende da mudança de comportamento de cada pessoa.

“A sustentabilidade está diretamente relacionada com o nosso modo de vida e com o que comemos todos os dias”, disse o médico peruano Oscar Viga Romero, vestido com a fantasia de urso, enquanto distribuía os panfletos. “É importante que as pessoas parem para pensar e percebam que só assim poderemos avançar e imaginar um mundo com qualidade de vida.”

Os manifestantes  ressaltaram que o protesto deles é pacífico, não tem fins políticos e vai permanecer até o final da conferência, no dia 22. O grupo reúne 70 pessoas de 17 países da América Latina, que se dividiram em dois grupos durante a Rio+20: um está no Riocentro, na zona oeste do Rio de Janeiro, e o outro nos eventos paralelos, na zona sul da cidade.

“O que queremos é difundir a alimentação vegan. Esse é o nosso propósito”, destacou o médico peruano. “A alimentação vegan representa uma economia de 95% do consumo de energia em relação à produção e ao preparo de alimentos convencionais.”

Por Agência Brasil

Veggi e Tal - Receitas veganas, Veganismo e Direitos Animais
© 2012 - 2016