Novo estudo diz que vegetarianismo aumenta o risco de câncer e doenças inflamatórias?

O que o estudo diz é que nossos corpos podem estar ao longo do tempo se adaptando aos tipos de alimentos que comemos.

vegetais são arma da dieta anticâncer

É muito fácil interpretar mal, tendenciosamente, um estudo científico. A mídia tem divulgado um estudo que supostamente afirma que o vegetarianismo a longo prazo aumenta as chances de desenvolver câncer e doenças inflamatórias, mas não é disso que o estudo trata.

Pesquisadores descobriram evidências de uma variação genética em populações com histórico de alimentação baseada em vegetais. Esta variação, ou alelo, parece ter se desenvolvido ao longo de centenas de gerações, permitindo que as populações vegetarianas processem de forma mais eficiente os ácidos graxos omega-3 e ômega-6 e os convertam em compostos que ajudam o desenvolvimento do cérebro.

A equipe da Universidade de Cornell também encontrou outra variação: as populações inuit da Groenlândia, cuja dieta é baseada principalmente em frutos do mar não têm os mesmos blocos de construção de DNA que comunidades semelhantes mas que eram em grande parte vegetarianas, o que sugere que ao longo de várias gerações, nossos corpos podem estar se adaptando aos tipos de alimentos que estamos comendo.

O estudo é baseado em uma amostra de 234 índios principalmente vegetarianos e 311 participantes dos Estados Unidos. O alelo vegetariano foi encontrado em 68 por cento dos índios e apenas 18 por cento dos norte-americanos.

A equipe também usou dados recolhidos a partir do Projeto 1000 Genomes (abrangendo muitos milhares de indivíduos) e constatou que o mesmo alelo estava presente em 70 por cento dos sul-asiáticos, 53 por cento dos africanos, 29 por cento dos asiáticos, e 17 por cento dos europeus do banco de dados.

Ou seja, já que o alelo ajuda vegetarianos a metabolizar mais rapidamente ácidos graxos dentro do corpo, o risco vem do excesso do consumo de ômega 6, especialmente nos óleos vegetais, por isso devemos das preferência aos ricos em ômega-3.

“A mensagem para vegetarianos é simples. Use óleos vegetais que são baixos em omega-6 e ácido linoleico, tal como azeite de oliva.”  disse Tom Brenna, um dos pesquisadores, ao The Telegraph.

O estudo foi publicado no jornal científico Molecular Biology and Evolution.

Com informações do Science Alert.

Veggi e Tal - Receitas veganas, Veganismo e Direitos Animais
© 2012 - 2016