“Morte aos vegetarianos e abstêmios”, diz presidente checo

“Morte aos vegetarianos e abstêmios”, diz presidente checoO presidente checo virou alvo de críticas depois de aparentemente pedir a morte de abstêmios e vegetarianos.

Milos Zeman, que é conhecido por desfrutar de bebidas alcóolicas, disse “morte à abstêmios e vegetarianos” durante uma reunião com produtores de vinho no castelo presidencial em Praga, na semana passada.

A fala do presidente atraiu críticas de políticos, já que veio apenas um dia depois de um atirador matar oito pessoas em um restaurante no leste da República Checa, no maior assassinato em massa da história moderna checa.

“Um chefe de Estado falar sobre morte de uma forma tão simplista apenas um dia após a tragédia é absolutamente vergonhoso”, disse Petr Gazdik, do partido tcheco Top 09. “As pessoas aqui estão indignadas.”

Em resposta, Jiri Ovcacek, porta-voz do Sr. Zeman, emitiu um comunicado dizendo que o presidente não estava pedindo pela morte “dos abstêmios e vegetarianos amantes da saúde” e sim que estava referindo-se a Adolf Hitler (um mito muito difundido, de que Hitler era vegetariano, e que é utilizado constantemente como pseudo-argumento contra o veg(etari)anismo).

“O presidente, naquele momento, tinha em mente o assassino em massa, que era um vegetariano confesso, abstêmio e não-fumante”, disse Ovcacek.

A declaração levou um homem a escrever ao presidente, pedindo um esclarecimento sobre se ele se referia à morte para vegetarianos abstêmios, ou ambos, os que são abstêmios e os que são vegetarianos, e perguntar se a vida de seu filho vegetariano estava sob ameaça.

“Desculpe interromper o seu trabalho difícil, mas como o meu filho cai em uma dessas categorias, eu queria saber se a vida dele agora está em perigo”, perguntou Jan Kolacek, o autor da carta.

Com informações do The Telegraph

Veggi e Tal - Receitas veganas, Veganismo e Direitos Animais
© 2012 - 2016