Xenoespecismo

Dr. phil. Sônia T. Felipe

cao-vacaEssa palavra formei no ano passado, juntando duas outras: xenofobia e especismo, para poder designar as reações iradas das pessoas formadas nas culturas ocidentais que se revoltam e xingam outras pessoas não criadas no ocidente, por conta de essas abaterem para comer animais beijados e acariciados aqui em nosso país, ou deste lado do mundo ocidental: cães e gatos.

Xenoespecismo é o que mais rola nos comentários às postagens sobre cães ou gatos sendo comidos por asiáticos: preconceito contra outros povos de outras etnias (xenofobia) e especismo em favor apenas dos “próprios animais de estimação”. Pragas são rogadas, esquecendo-se que elas valem para quem faz o mesmo aqui a outros animais, igualmente torturados e mortos para consumo humano.

Todos os animais são iguais em seu direito fundamental à vida, pois todos são sencientes e desejam viver, igualzinho a nós, ao nosso amado cãozinho e ao nosso magnificente gatinho.

Quando penduram uma vaca com mais de 400 kg por uma perna só, naquele gancho do abatedouro, ela está vivíssima e é assim que passam a motosserra nos joelhos dela e a apunhalam para extravasar o sangue, e suas carnes viram bifes, churrascos e outras iguarias que os asiáticos não tiveram como aprender a comer.

Quando jogam os porcos nos caldeirões de água fervente para depilação, um em cada três deles está vivíssimo (confirmado pela médica veterinária Gail Eisnitz, em seu livro Slaughterhouse) e morre por conta da água fervente que inspira para dentro do seu pulmão. Sensação deliciosa, não é mesmo? Apenas para quem come presunto, costela, torresmo, bacon, banha de porco, linguiça de qualquer marca, promovida ou não por estrelas da TV, enquanto acaricia seu cãozinho ou gatinho tão especiais.

Nada do que é feito aos porcos, aos frangos, às vacas, aos vitelos, aos perus comidos na ceia natalina, às ovelhas comidas agora na páscoa, comove os xenoespecistas (xenófobos especistas) que se alvoroçam apenas com o que é feito a um animal que eles escolhem para abraçar (cães e gatos), não com o que fizeram ao animal que escolheram para mastigar.

E em todas as culturas, não importa se a ideologia do mercado é capitalista ou comunista, tais atos são abomináveis contra os direitos fundamentais dos animais de cada um deles, sem predileções pessoais, sem escolhas eletivas, sem especismos, racismos ou sexismos em qualquer tom de cinza ou de marrom. A morte é brutal para todo animal.

Texto originalmente publicado na Fanpage do livro Galactolatria, Mau Deleite

Veggi e Tal - Receitas veganas, Veganismo e Direitos Animais
© 2012 - 2016