Câmara de SP proíbe foie gras, peles de animais e uso de cães como guardas

Câmara de SP proíbe foie gras, peles de animais e uso de cães como guardasFoie gras e peles

Em segunda votação, a Câmara aprovou o Projeto de Lei 537/2013, que proíbe a produção e a comercialização de foie gras em restaurantes e a venda de artigos de vestuário feitos com pele animal no município.

O foie gras, ícone da gastronomia francesa, é elaborado com o fígado gordo de pato ou de ganso por meio do método conhecido como gavage – em que as aves são submetidas a uma alimentação forçada.

O projeto de lei havia sido aprovado em primeira votação em 2013. Agora, segue para sanção do prefeito Fernando Haddad (PT). O autor da proposta é o vereador Laércio Benko (PHS). Umbandista, ele apresentou o projeto após participar de polêmica em que defendeu uso de animais em rituais do candomblé.

Cães de guarda

A Câmara Municipal de São Paulo aprovou em definitivo o projeto que proíbe o uso de cães por empresas de segurança privada e de vigilância na cidade como guardas. O autor do projeto, o ex-vereador e atual deputado estadual Roberto Trípoli (PV), havia justificado a adoção da medida alegando que os animais são mantidos em ambientes insalubres.

A lei exclui da proibição os cães usados pela Secretaria da Segurança Pública. Segundo o Sindicato das Empresas de Segurança Privada, Segurança Eletrônica e Cursos de Formação do Estado de São Paulo (Sesvesp), cerca de 600 cães são usados pelas empresas do setor na Grande São Paulo.

Com informações do Uol Notícias.

Artigos relacionados

Newsletter - Receba noticias e artigos no seu email

PATROCINADORA

Eline Bélier

PUBLICIDADE

Lojas gerenciáveis na plataforma Opencart

PUBLICIDADE

Anuncie aqui